terça-feira, 8 de abril de 2014

E nada de mal me acontecerá

Perco-me na espera de dias melhores que hão de vir na força do calor e da paz que, por andar perdida, tarda em chegar.

Perco-me na esperança de dias melhores que hão de chegar engalanados, garridos, ao som do rufar das peles esticadas dos taróis.

Perco-me na certeza de dias melhores acabados de chegar. Perco-me no seu sabor, não de mel que é espesso, denso, mas de limão doce e fresco, suave, envolto em bolas de sorvete branco enfeitadas com pepitas de chocolate. Perco-me nesses dias mornos, envolta nos teus braços que sei seguros.

E nada de mal me acontecerá. Nunca mais.


4 comentários:

CF disse...

Minha querida amiga, perdermo-nos na espera é algo inglório demais, sabes disso. Podes perder-te, eu perco-me muitas vezes, diria até que me perderia ainda mais. Mas evito perder-me a esperar. Tento sempre perder-me a aprender, a ensinar, a descobrir. O que vier, virá...

( Perdoa-me, não quero armar-me em moça sabedora, que sabes tu muito mais do que eu... :) Foi só um desabafo... :))

Antígona disse...

Tens toda a razão CF :) :) (saudades tuas :))

Majo disse...

~
Mas que doce, terna e maravilhosa perdição!


~ ~ ~ ~ ~ Perder~se na certeza ... ~ ~ ~ ~ ~

~ ~ ~ Em dias amenos de Primavera. ~ ~ ~

~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ Que coisa boa! ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~

~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ -Abraço amigo- ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~

Jardineiro do Rei disse...

Minha Amiga...

Que belo poema de Amor!

E mais não digo porque não sei comentar poesia. Ou gosto ou não gosto.
....E gosto, muito!

Um abraço

João