quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Uma boa desculpa não indemniza prejuízos

As desculpas que esta senhora deu aqui depois do estardalhaço feito aqui, veio oferecer aos portugueses, são de mau pagador.

A Maitê Proença, com todo o seu humor brasileiro, não terá, com certeza, dificuldade em encontrar, no seu país, lugares onde largar o cuspo que largou aqui.

Quando pensar em voltar a fazer um "vídeo caseiro", e em passá-lo num canal público, tenha em consideração todos os conterrâneos que por cá habitam, por lá não encontrarem forma de vida capaz. Já agora estude um bocadinho de História de Portugal. Convém quando se fala de qualquer país, estar minimamente informado.

Quanto ao humor brasileiro, tão diferente do português, deve ser aplicado em lugares de humores semelhantes para não ferir susceptibilidades. Para a próxima brinque com o pipi que também é giro. Nunca explicaram a esta senhora que nós podemos brincar com os que habitam a nossa casa, mas não podemos fazer o mesmo com os vizinhos?

2 comentários:

Sputnick disse...

Casca na gaja. Eu já casquei :)

Kumekei disse...

Desculpa esfarrapada alegar que aquilo era humor.
Existe humor chocante que insulta mas que se consegue ver o ridiculo no exagero.
O Sasha Baron Cohen com o Borat e o Brüno são exemplo disso. O pessoal do Vai tudo abaixo tambem.
Até os próprios Gato Fedorento "gozam" mas em registo de humor.

Mas não. A senhora tem razão. Há uma coisa engraçada.
A sua figurinha ridicula de pessoa que destroi anos de boa reputação a fazer figura de burra.

Não me ria de uma personagem daquelas nem nos malucos do riso. Tinha era pena. Muita pena.