quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Ainda dos filhos

Talvez haja uma parte deles que para nós nunca cresce. Talvez por isso o desejo de que o mundo não seja nada disto quando a tristeza se estampa nos seus rostos. E a tristeza deles é a nossa tristeza em dobro; e as suas aflições as nossas, em dobro. E nunca se sabe qual a tristeza que estamos a tentar afugentar, se a nossa se a deles; nunca se sabe qual a aflição que tentamos aplacar, se a nossa se a deles.
Houve alguém que disse um dia que ter filhos é tirar o coração do peito e trazê-lo nas mãos até ao fim. Sábias palavras...

3 comentários:

CF disse...

Sábias mesmo...

Antígona disse...

Olha afinal foi publicado! Levou foi tempo! Mas ontem tudo levou muito tempo...

Sandra disse...

Antigona...como entendo o que escreveste!