terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

O síndroma da pequenez

Cresci, e posso dizer que sempre vivi, em terras pequenas. E quem, como eu, as conhece, saberá que não minto quando afirmo que existe, nas terras pequenas, uma certa mesquinhez. Todos sabem, ou pensam saber, da vida de todos; todos gostam, ou parece gostarem, de maldizer, de coscuvilhar, de difamar. Nas terras pequenas as pessoas entretêm-se com o diz que disse; com o parece que fez…
Neste momento creio que o vírus das terras pequenas se espalhou pelo meu pequeno Portugal. Ou isso ou sofremos todos do síndroma desta pequenez continental que na verdade nunca descansou, nem mesmo enquanto fomos, consideravelmente, maiores.

2 comentários:

Goldfish disse...

A teoria que defende que só nas terras pequenas é que há mesquinhez está muito enganada... Vivi em Lisboa praticamente a vida inteira e lidei com o diz-que-disse permanentemente - a diferença é que, em vez de comentarem, maldizerem e difamarem uma terra inteira, é só uma rua ou duas! Não é, portanto, de estranhar que se estja finalmente a manifestar por todo o país.

Antígona disse...

Isso é o síndroma do bairrismo :) o que vai tudo dar no mesmo...