quarta-feira, 21 de abril de 2010

Estou tão danada que o melhor é não dar nome a isto...

Correndo o risco de plagiar António Vieira – é tudo a comer! Ou, melhor ainda – é tudo a roubar! O raio que os parta a todos mais os impostos de selo; as inspecções; os serviços e a pata que os pôs a todos! Se um dia pudéssemos perder algum tempo a somar todas as merdelhices que pagamos sem saber para quê, disfarçadas de lei e camufladas de inevitabilidade, chegaríamos à conclusão que afinal a miséria de ordenados que temos até chegaria para qualquer coisa se não tivéssemos de a distribuir por este bando de abutres que paira permanentemente sobre as nossas cabeças.
O meu sonho, aquele sonho sonho, a minha grande ambição, é poder, um dia, cagar em absoluto nestas instituições todas; é ter um pedaço de terra onde possa fazer um furo à revelia dos mamões; onde instale placas e moinhos que me gerem a energia que preciso; é não precisar dos bancos para nada, nadinha, ter as minhas dívidas todas pagas e guardar o dinheiro como se fazia antigamente, debaixo do colchão; dentro de um frasco; à sombra da árvore – em todo o lado menos no banco. O meu sonho é poder, um dia, espetar-lhes, com toda a convicção, o dedo do meio e mandá-los a todos àquela parte. Puta que os pariu!

4 comentários:

Leididi disse...

ai ai disseste uma asneira...

Antígona disse...

É para que vejas...:)

Inês disse...

Minha querida Antígona... estou contigo, aliás, penso que estou eu e mais uns 10 milhoes... mas somos calmos, serenos, parece quase que gostamos disto... Um beijinho!

Sputnick disse...

Isso é que é falar Miga. Repito contigo, e em voz alta - PUTA QUE OS PARIU :):)