domingo, 20 de junho de 2010

Ainda Saramago

Pessoa deixou-nos um Portugal por cumprir, Saramago mostrou-nos como fazê-lo. Porque um país se cumpre na humanidade; na coragem e na capacidade de ver para lá do que existe, para lá das aparências.
Saramago teve a coragem de ver e de contar o que viu; universalizou-se e universalizou-nos. Ficámos mais pobres agora, mas muito mais ricos do que seríamos se ele nunca tivesse existido; tal como ele teria morrido mais velho se tivesse morrido antes de conhecer Pilar. Somos hoje um país diferente se para tal não nos faltar «o engenho e a arte» de o ler, de o interpretar, de o compreender...em suma, de o conhecer e, conhecendo-o, conhecermos a nossa humanidade.

2 comentários:

joão l.henrique disse...

Assim foi de facto Saramago, um homem empenhado em indicar-nos, o que ele entendia ser o caminho...

Cumprimentos.

CF disse...

Um Génio, para mim, claro. Pela capacidade de escrita, mas acima de tudo, pela incrível capacidade de entender o Homem e o que o mobiliza. Vai fazer-nos falta. Ainda assim, deixou-nos muito. Muito mesmo...