domingo, 23 de janeiro de 2011

Falta de Quórum

Este termo é utilizado em votações e assembleias. Porque é que não é utilizado em eleições ou, se é, qual o número mínimo para que haja quórum?
Como é que é possível elerger-se um Presidente de República, ou um Governo, que supostamente representará todo um povo, quando mais de metade da população não votou?! Para já estamos em 35%!!! Isto não é representativo! Não pode ser!
É que, ainda por cima, nem sequer se pode considerar abstenção dado que um número ainda indeterminado de pessoas não conseguiu votar por questões técnicas!

6 comentários:

Sandra disse...

Além de tudo isso acho triste que no meio de 10 milhões de habitantes os melhores candidatos a PR tenham sido os que se candidataram...isso é triste...

CF disse...

Confesso que nem me tinha ocorrido. Mas agora que falas, faz-me todo o sentido...

MB disse...

Triste, triste é que metade dos portugueses sejam tão cobardes ou desinteressados que não tenham ido votar. É uma opção que não ajuda em nada a mudar o pais q temos... eu votei, eu não votei Cavaco Silva, portanto tenho todo o direito de continar a criticar e a revoltar-me. Os direitos conquistam-se e para isso é apreciso levantar o rabo de junto das lareiras, num dia frio como o de hoje, e ir votar... e se os candidatos não eram de forma alguma os melhores, eram os possíveis para evitar um mal maior. Nem sempre as opções disponíveis são as q nos agradam mais mas, mesmo assim é preciso fazer escolhas. Às vezes é preciso coragem, mas a vida não é isso mesmo??! escolhas, escolhas , escolhas...

Antígona disse...

MB, não foi metade, foi mais de metade. E eu também votei. De resto, voto sempre. Entendo que esse é um dos meus deveres, o de participar. E também não votei Cavaco Silva.
Ainda assim, parece-me que há que reflectir na abstenção, que, resto, também é um direito e, creio eu, que deveria contar para a percentagem final. Hoje quem ganhou foi a abstenção. Se isso fosse impeditivo de eleger o PR, estou certa de que muitos daqueles que hoje não foram ou, por motivos burocráticos, foram e não puderam votar, estariam presentes numa segunda volta. E assim é que deveria ser.

MB disse...

Desculpe Antigona mas continuo a não concordar consigo. Abstenção não é um direito é uma cobardia. Não é com abstenção que se destronam candidatos é NÃO votando neles. Devo acrescentar q não foi a abstenção q ganhou mas Cavaco com os não votos dos abstencionistas e só existiria segunda volta se os portugueses tivessen participado na primeira... é q ainda não dá para saltar etapas.
E para terminar concordo q há q refletir sobre este assunto porq revela bem o grau de ignorãncia política e tacanhez dos tais portugueses q acham q "conquistaram" o direito de não votar.

Sputnick disse...

Por isso eu ía às reuniões de comdomínio, pelo quorum, pois quando não ía, era sempre surpreendido com decisões que só interessavam...aos que constituiam, o quorum...