segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Falta de criatividade

Sente-se, por esta blogosfera fora, um entupimento criativo. São raros os blogues que mantêm a traça inicial, e por mim falo que vivo de oscilações. Sente-se apreensão e sobretudo falta de garra, de genica, como se a realidade já nos tivesse vencido - essa realidade que nos têm insistentemente vendido e à qual nós, mais cedo ou mais tarde, acabamos por sucumbir.

Os momentos mais criativas da minha vida não aconteceram nas alturas mais felizes, nessas carregadas de  euforia, de ânimo, de visão e confiança no futuro. Os momentos mais criativos foram precisamente os que se seguiram aos momentos de desânimo, aos momentos de, tantas vezes, profunda tristeza, desilusão e medo – aos piores momentos. Os momentos mais criativos foram sempre aqueles em que o espírito se entregou porque já não havia mais nada que temer e uma estranha paz o invadia. Uma paz que levava o corpo ao abandono e o cérebro, a reboque dos dois, se abria plenamente à vida. Vazio. Livre. Pronto para criar.

Espera-se, por isso, que muito em breve volte a criatividade à blogosfera. Que muito em breve as pessoas se manifestem realmente ao invés de se limitarem a mostrar obra que afinal é de outros e que, merecendo ser divulgada, acaba por se tornar repetitiva. Espera-se que, muito em breve, a paz regresse a todos os espíritos porque já pouco ou nada há que temer. Afinal de contas continuamos a ser nós os condutores das nossas vidas. Só temos, quando muito, de adaptar as nossas ferramentas às novas circunstâncias, nada mais.

5 comentários:

Sputnick disse...

é que a malta anda deprimida, pá. coisas da troika :(

Jardineiro do Rei disse...

Olá Antígona...
Depois de umas imensas férias (sorte de jubilado, que isso de ser reformado é coisa de pobre...), vim dar uma espreitadela.
A blogosfera cada vez mais a ser transformada num cemitério de blogues. Não sei se é falta de inspiração, se é desencanto, se é esgotamento das capacidades do dono do blogue, ou se, como diz, é um sinal dos tempos que vivemos. mas a verdade é que,se nos dispusermos a dar uma volta pela net, há milhares de blogues adormecidos há anos.
O que está a dar agora é o Facebook.
Enfim....

Um abraço

joão

Nuno Andrade Ferreira disse...

Hey, hey, hey!

Então e o meu blogue e a sua imensa actividade recente?

Antígona disse...

Querido Nuno, tu fazes parte das excepções, não da regra :):)

Anónimo disse...

A blogosfera faz parte da (pré)história da rede, do passado (mais sentido) de cada um de nós e, tens razão, assenta em bases doridas, dos piores momentos, de maior e melhor inspiração.
Para quê escrever o que (quase) nunguém vai ler?
E quando eu morrer, quem quer as passwords dos bits que por aí deixei perdidos?
Arrisco a resposta a) Ninguém.
Há dias em que a vida acontece, outros em que nem por isso, mas continuarei a enviar-te os votos de parabéns, se mantiveres a tua data de nascimento no Facebook (por ora).
Jorge