quarta-feira, 4 de agosto de 2010

E envergonharem-se, não?!...

É extraordinário o estado a que certas pessoas se deixam chegar. Não é só a obesidade; é o desleixo; a desvergonha.
Passeiam-se, quais baleias, de biquíni que mal se vê porque a barriga não deixa, ou de calções minúsculos cuja parte da frente não vê sol nem água porque o umbigo alinha com a parte de cima das coxas que, para se movimentarem coitadas, têm de andar bem afastadas uma da outra não vá o interior assar.
E não, não é doença, é desleixo. Esta gente não teme os ataques cardíacos?! Não tem espelhos em casa que lhes dê consciência que com corpos assim o melhor é usarem fatos de banho ou calções compridos?! E depois, que mal fiz eu a Deus para ter de levar com espectáculos destes?!
Hoje, na piscina, uma mulher de idade incerta mas seguramente avançada; que com certeza engoliu, em determinada altura do seu percurso vivencial, um buda, plantou-se à nossa frente num diminuto biquíni ao qual resolveu tirar as alças e foi um por um triz que não nos agraciou, a todos, com o maravilhoso espectáculo da sua nudez. Por amor de Deus!...

4 comentários:

Nuno Andrade Ferreira disse...

Mãe, chá de Tília.
C-H-Á D-E T-Í-L-I-A

Antígona disse...

Pois, pois... e tu não te ponhas a pau, não... LOL

CF disse...

Loooollll. Tinha sido bonito. Tinha tinha ::)):))

Sputnick disse...

É pá, que susto!
Pensei que me tinhas visto na praia :):)