domingo, 1 de agosto de 2010

O seu, a seu dono

Ninguém liga nenhuma aos revisores a não ser, evidentemente, se se estiver a ler um livro cheio de erros, aí sim, dá-se uma vista de olhos à ficha técnica para ver quem terá sido a besta que o reviu.
Assim quando o meu filho me disse – Estou aqui na FNAC a mostrar os teus livros à J. Estão em destaque! - O meu coração estremeceu. Por momentos pensei que podiam, por um qualquer milagre ou doideira da editora, ser os, realmente MEUS, livros. Os três que não passaram da primeira edição; que poucos conheceram e de que ainda menos se lembram. – EM DESTAQUE?!! – Exclamei. E ele, muito naturalmente, respondeu que sim e começou a citá-los. – Esses livros não são meus! – reclamei eu.
– Pois. Aqueles que tu reviste…
Já lá vão perto de oitenta obras. Algumas com mais de um volume. É um trabalho que gosto de fazer, mas só o meu filho para ter orgulho em abrir um deles e mostrar à namorada a ficha técnica…

4 comentários:

CF disse...

Antígona, não é tanto assim. É um trabalho deveras importante, ainda que não muito destacado. Bora lá a valorizar, sim???

Sputnick disse...

Embora eu não conheça as obras em questão, tens aqui um amigo que também fica orgulhoso da Amiga, a Bela Antígona.
Que continuem as revisões :)

Goldfish disse...

Que querido! Mas é para ter orgulho, especialmente pois tenho a certeza que é um trabalho como deve de ser e tanta falta fazem bons revisores para as nossas traduções... Cada vez que me lembro de um livro em que um personagem tinha "borbulhas" nos pés por andar de mais!

JL disse...

Finalmente, uma revisora! Beijo. :)