segunda-feira, 8 de agosto de 2011

E se eu agora de repente te escolhesse?




E se eu agora de repente te escolhesse? Que dirias?
Se eu agora de repente te olhasse e desejasse e tu me visses? Que dirias?
E se eu agora de repente te escolhesse?
Se no meio de toda a gente eu te apontasse e te quisesse? Que dirias?
Que dirias? Tu que pensas saber do amor. Que o misturas com desejo e o confundes
A ele que nem sabe bem quem ser. Porque umas vezes é isto – um dedo que aponta.
E outras apenas alguém que deseja.
Tu que pensas saber do amor como se existisses dentro dele e não o contrário.
Que dirias? Se eu te escolhesse?

4 comentários:

Sputnick disse...

Hummm, quem será o eleito :):):)

Antígona disse...

Nem eu sei meu amigo :):) e se soubesse, nem às paredes... lol

Sputnick disse...

Ah ah ah, também já andei assim :)

CF disse...

:):) Sorrisos Antígona