domingo, 1 de fevereiro de 2009

Pequenos espaços

A minha mãe disse-me uma vez que quando eu e o meu irmão saímos de casa ela a percorria ininterruptamente sem saber onde parar ou para que lado havia de se virar.
A casa da minha mãe era grande.
A minha é pequena.
E a mim, hoje, parece-me uma jaula.

4 comentários:

JP disse...

Claro que não me referia à autoria de tão brilhante texto no artigo anterior, mas à circunstância que se reflecte do interior de cada jaula...

Filho disse...

Mãe, que nunca te pareça uma jaula porque seja qual for será sempre a nossa casa e eu vou estar sempre contigo, mais ou menos frequentemente!

Antígona disse...

Olha, só por causa deste comentário já ela alargou um bom bocado :):)

Leididi disse...

xiiiiii, granda menino!!Vai estar sempre nas saias da mamãaaaa!!