quinta-feira, 9 de abril de 2009

Das relações

Cada vez são mais difíceis as relações entre as pessoas. Estamos na era da autenticidade, da assunção do que somos, da afirmação dos vários eus e, nessa assunção, afastamo-nos cada vez mais do outro.
Precisamos aprender a ser , aceitando, ao mesmo tempo, aquilo que o outro é. Precisamos de aprender a medir distâncias, a calcular espaços. Precisamos, mais do que nunca, de seguir aqueles tão antigos conselhos. Não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti. A liberdade de cada um termina onde a do outro começa. Precisamos de ensinar isso às crianças. Precisamos de desenvolver o conceito, também ele antigo embora pareça ter caído em desuso, do Bom Senso. Porque será ele que nos pode ajudar na aceitação da nossa individualidade ao mesmo tempo que tomamos consciência da nossa universalidade, da nossa comunidade, a de todos os Seres.
Precisamos de acreditar que os outros são nossos irmãos, nosso iguais nas suas diferenças.
Precisamos de encontrar um equilíbrio entre nós e os outros e, para isso, precisamos de resgatar modelos antigos para que os possamos adaptar à nossa realidade. Precisamos de resgatar a fraternidade, a solidariedade e a compaixão.