quarta-feira, 27 de maio de 2009

Mas que merda!

Vem um médico e diz, opera. Vem um outro e diz que não. Um terceiro concorda com o primeiro e o quarto, tarde de mais evidentemente, diz que o segundo é que tinha razão!
Empatadas que estão, agora, as doutas opiniões, não o estavam na altura de decidir. Pelo que se optou pela não operação.
Coloca-se, agora ,a questão – foi uma boa escolha? Sei lá! E se se tivesse optado pela operação e a coisa tivesse corrido mal?! E se o organismo dela não aceitasse os ferros ou os parafusos obrigatórios nestas circunstâncias? Como é que uma pessoa vai saber o que fazer com opiniões tão díspares?!
Não é o meu pé. É o da minha filha, o que é muito pior. Antes fosse o meu.
Há que evitar ao máximo os acidentes. Fujam dos hospitais sempre que puderem. Corram, porque, mesmo que seja só um tornozelo partido, não deixa de ser uma bosta.

3 comentários:

Paula disse...

Eu então, fujo deles a 7 pés! Mas com cuidado, para não os partir...
:)

Nuno Andrade Ferreira disse...

Mas eu bem disse à miuda para amputar o pé. Epá, punhamos ali um taco de madeira e ficava boa num instante. A mancar para a vida, mas boa.

Antígona disse...

Estúpido!lol